domingo, 12 de abril de 2009

eu existo.

Aquele dia que se ouve música sózinho, sem abrir a janela do quarto, me coloco beira dos últimos acontecimentos e todo sentimento que me vem é: Je suis excessive. Quero exagerar a ocasião assentimentada em que me observo, reconheço esse meu exagero, então me recordo das aulas de literatura, me percebo nada romântica, só egoísta, nesse momento creio que minha dor é toda, ao ponto de ser impossível a dor do outro ter proporção significante.
Não quero consolo e reflito: “só sei que nada sei”. Penso: “e eu, que nem sei se nada sei”, mas outra “Pessoa” antes de mim se viu sem consolo e a originalidade não me cabe, oscilo entre o descontentamento e a insatisfação de me sentir sem “ser”, se você não entende não se frustre eu também não entendo química e é custoso analisar Hamlet - é uma tragédia.
Me sinto brega: “C'est que j'existe” .

os trechos em francês são da musica L'excessive - Carla Bruni no qual fui apresentada por uma amigo.

3 comentários:

pepita chocolate disse...

Agradeço a tua vinda ao meu cantinho e tentares ci«ontinuar a segui-lo. gostei da tua visita´: és sempre bem-vinda!
Volta sempre!

Beijoca

Srta. Butterfly disse...

Que lindo jogo de idéias e conclusões 'assentimentadas'

Parabéns pelos textos novos, Sarah!

Fica bem
=*

Mari e Ana disse...

Lindo texto, adorei as frases em frances também. Resolvi procurar músicas da Carla Bruni e adivinha, amei.

Quando der passa lá http://sweetsmilingtears.blogspot.com/

Beijos
Ana