sábado, 2 de maio de 2009

Eu não quero isto!

As vezes penso que queria ser menos complicada, seria tão mais fácil minha vida, não ficaria tão irritada com as coisas e seria mais calma em relação as situações de stress, com certeza me magoaria menos e seria menos insatisfeita quando as coisas não saem exatamente do meu jeito, talvez eu tivesse mais momentos felizes se eu fosse menos complicada.

“Eu não quero aquele, eu não quero aquilo”

Tenho me percebido preocupada com o que as pessoas pensam a meu respeito e mais preocupada porque talvez eu não seja tão legal quanto imaginei que fosse. Reflito: não sei qual é o meu reflexo, mas não parece bom. Minha reflexão de mim até que sempre foi bacana, sempre ouvi dizer que eu sou diferente, definição bastante interessante para a minha vaidade.

Agora, me vejo descontente, não sei se porto muitas conquistas com esse meu jeito, mas francamente não sei se gostaria de mudar, sobrevivi até aqui desse jeito, sendo brava, teimosa, orgulhosa e assumo, até um pouco manipuladora, loca, pirada as vezes e intensa muito intensa. O maior problema dessa intensidade é que se é pra ser feliz eu sou a apoteose, mas se é pra ficar triste eu a personifico.

“não quero medir a altura do tombo
nem passar agosto esperando setembro

Sou sempre um extremo, porém ao dizer que não sei se quero mudar, não significa ignorar o dom da mutabilidade e evolução ofertada por Deus e sempre louvada por meus filósofos, “eu sou aquilo que deve sempre superar a si mesmo” (Nietzsche), eu quero ser melhor e é meio piegas pensar. Creio que vivencio sempre uma felicidade ilusória no qual me inseri, na verdade acredito que o ser humano por excelência é envolvido numa bolha para manter-se vivo, mas nunca quis isso pra mim.

Penso que quando não dava a mínima pro que pensavam a meu respeito, era mais feliz, mas me remete a “bolha”, talvez o “não dar a mínima” era só mais uma dessas fugas, talvez esteja filosofando demais me tornando completamente neurótica e ainda tenho uma fuga, Freud considera um homem normal, neurótico em potência, com isso deixo minha posição de anormalidade, talvez a leitura facilite as fugas de mim mesmo, só o que não quero é ser um pseudo-qualquer coisa de mim.

“Eu não quero isto, seja lá o que isto for”

Quero existir no mundo e principalmente pra mim e gostaria de ser aprovada por ambos, queria incomodar menos quem sabe, mas talvez isso signifique ausentar-me das minhas convicções. Ser diferente enaltece minha vaidade, talvez por isso esteja errado, não vejo essa diferença, mas nunca quis ser normal, o fato é que não são só os que a desgostam que a percebem, meus poucos amigos a admiram, talvez por isso eu seja especial para eles.

Estou falando, falando e talvez sem dizer nada... O que eu gostaria é de ser aceita, só isso, nunca pareceu importante, porque talvez no outro mundo em que vivia não fosse necessário, hoje porém, o mundo que habito funciona de outro modo, ainda sei que “não existem verdades absolutas”, por isso gostaria de saber o que tem de errado comigo, porque eu sei que tem algo errado com o outro, mas eu não o julgo, portanto gostaria de não ser julgado.

“quero tudo ter estrela, flor, estilo
tua língua em meu mamilo água e sal”

...Talvez por isso eles não gostem de mim. rss

6 comentários:

Srta. Butterfly disse...

Oi Sarah! ^^

Sabe o por que de tantas controvérsias sobre sua maneira de ser? Você tem PERSONALIDADE!
E esta é uma característica que está cada vez mais difícil de encontrar nas pessoas, por isso nossa (digo nossa porque também sou constantemente colocada diante do meu reflexo) maneira de ser incomoda tanta gente, mas isto não quer dizer que tenhamos que mudar nossa maneira de agir, não, não é isso. O que devemos fazer é aprender a controlar o turbilhão de emoções que algumas vezes cresce dentro da gente, afinal, não vivemos sozinhas em um grande mundo particular ;)
Que falem! Que apontem seus defeitos! Ouça quem vale a pena, ignore os comentários que não julgar relevantes e, acima de tudo, não perca sua identidade, afinal se você não for Sarah, quem vai ser? ;)

Adorei o texto! Me identifiquei muito! kkk

Fica bem!
=*

Brenda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brenda disse...

Sarahh.. finalmente vc escreveu heimm.. entro sempre e nads, hj entrei ta ai um texto.. e q texto heimm.. como eu sempre falo: bem sua cara! hahaha.. ora depressivo, ora alto astral, e como vc mesmo disse: sou, intensa, mto intensa. Qndo tem q focar tristeza, vc foca com força e vice e versa. Concordo plenamente com o outro comentario, vc é uma pessoa q tem Personalidade, tenta sempre ser a Protagonista da sua historia. Lógico q todos nós temos nossos defeitos, ngm é perfeito, e como diz o ditado, nem Jesus agradou a todos, pq eu tenho que agradar?
Bjoss.. sdds! =]

Gênesis disse...

Sarah to vendo que voce esta agora com muitos leitores, gente nova por aqui...hehehe
a propósito gostei muito do seu texto aprendi 2 palavrinhas e ainda teve o "impacto" na leitura...kkkkkkkkk
bjosss, continue assim!

Ric disse...

Já pensei, divaguei, quase pirei, pensando exatamente essas coisas...
Olhe, larguei isso pra lá! Vou vivendo e pronto.

Ótimo texto. Alias, o seu blog é muito bom.
Beijos!

Janaina Moraes disse...

Olha só... Muito bacana seu blog.
Não sabia que vc o tinha, e juro ter ficado meio que surpresa com seu comentário lá no blog.
Agradeço a sua atenção e ao elogio, mesmo que singelo.

Passe mais vezes, conheça o blog do Café Expresso e boa sorte neste seu novo momento.
Blog.

Até mais.